Engenharia de Manutenção como estratégia

Engenharia de Manutenção como estratégia


O mercado atual e o ambiente tecnológico globalizado exigem que os objetivos da Manutenção e da Produção sejam compatibilizados e harmonizados para se alcançar patamares mais elevados de competitividade e sobrevivência.

Assim sendo, a Manutenção deixa de ser um elemento de custo nas empresas para se tornar uma função geradora de vantagem competitiva.

A Engenharia de Manutenção se baseia em três pilares de atuação que juntos, garantem essa vantagem competitiva.

1º pilar: Focado na área do PCM (Planejamento e Controle de Manutenção) baseada em indicadores e nos KPI’s de manutenção, nos sistemas de informação e apoio à Manutenção, TPM, Manutenção Preventiva, Detectiva e Preditiva, RCM, entre outros.

2º pilar: Voltado à Qualidade e controle de operações pela metodologia DMAIC (defina, mensure, analise, melhore e controle), método das práticas Six Sigma e tem como meta melhorar um processo existente, efetivo também para o aumento da produtividade, redução de custos, entre outros.

3º pilar: Refere-se à utilização das ferramentas e técnicas avançadas de Gestão, como a Gestão de Projetos, Gestão dos Ativos e Gestão Econômica e de Custos da Manutenção.

Fazer Engenharia de Manutenção significa:

1. Praticar a análise de falhas de modo a eliminar as causas de mau desempenho (atuar na causa raiz).

Os problemas sempre têm uma causa e elas precisam ser identificadas através de uma análise dessa falha. Normalmente são criados alguns critérios para disparar essa análise, ou seja, se acontecer uma falha por exemplo e esse ativo tem um nível de criticidade “A”, independente do quanto essa falha causou de parada deve-se fazer a análise de falha. Ou se esse ativo tem alto risco de segurança e dano ao meio ambiente, aconteceu uma falha a mesma deve ser analisada. A Engenharia de Manutenção atua fortemente nessa área estabelecendo os critérios necessários e a formação de equipes de trabalho para cada situação que possa surgir.

2. Atuar efetivamente em materiais básicos e sobressalentes.

As gestões dos estoques destinados à Manutenção são materiais e peças em geral que possuem itens críticos e que precisam de uma forte atuação da gestão. São quantidades, níveis de qualidade e modelo de gestão de reposição que precisam estar sempre funcionando adequadamente, entre outras necessidades. A Engenharia de Manutenção tem papel determinante para que isso aconteça de forma a não prejudicar as atividades da equipe.

3. Desenvolver procedimentos de trabalho (juntamente com a execução).

Procedimento ou Instrução de trabalho tem o objetivo de padronizar e minimizar a ocorrência de desvios na execução de tarefas fundamentais, ou seja, essa instrução de trabalho garante a qualquer colaborador que as execuções dessas tarefas sejam com a mesma qualidade. Ou seja, assertividade previsível, mínimas variações causadas por imperícia ou adaptações aleatórias do executante da tarefa.

4. Treinar o pessoal nos Padrões estabelecidos.

Uma vez definido alguns procedimentos como padrões de trabalho, esse documento também tem a função como conteúdo para treinamentos aos novos colaboradores e reciclagem dos já envolvidos e também para que se tenha um processo bem claro e definido diante de uma eventual auditoria.

5. Participar dos projetos de obras novas e de melhorias.

Todos os processos envolvendo aquisição de novos ativos, expansão das edificações ou projetos de melhoria devem ter a participação da Engenharia de Manutenção. Isso muitas vezes é ignorado e problemas surgem por falta de conhecimento da equipe de Manutenção. É uma área extremamente técnica que tem muito a colaborar nessas situações, ou seja, sua participação é imprescindível.

6. Desenvolver a manutenibilidade (significa a probabilidade de se executar um reparo de uma falha dentro de um prazo preestabelecido, tomando-se como base o histórico de outros reparos).

Esse item vem a corroborar com o que mencionamos quanto a criação de procedimentos de trabalho. Outro item a ser implantado são os treinamentos internos sobre novos métodos ou de reciclagem, fornecer ferramental e instalações adequados e todas as condições necessárias para garantir a execução das atividades da manutenção com qualidade e no tempo certo.

7. Informatização do sistema de gerenciamento da Manutenção.

Todo trabalho da manutenção precisa de um sistema compatível para que todas essas necessidades já elencadas surtam o seu efeito. A Engenharia de Manutenção juntamente com o PCM precisa de um sistema para fomentar um banco de dados bem estruturado e colocar em prática todos os métodos de gerenciamento da equipe.

8. Gerenciar a Manutenção das áreas prediais.

Independente da empresa possuir uma equipe terceirizada, a Engenharia precisa juntamente com o PCM gerenciar as atividades e mais que isso, cuidar das reais necessidades das edificações. Lembrando que a manutenção em edificações são objeto de normas que a regulamentam como a NR-8 e a norma da ABNT NBR 5674.

9. Gerenciar as condições de SSHM (Segurança, Saúde, Higiene e Meio Ambiente).

A área de Manutenção tem grande responsabilidade quanto as questões de segurança e por motivos óbvios. A primeira delas se refere as condições dos ativos e seus dispositivos de segurança conforme NR-12. Tem as inspeções de vasos de pressão, certificações de laudos de aterramento (SPDA) e como citado no item anterior, os cuidados com a manutenção nas edificações entre muitos outros. Portanto a Engenharia de Manutenção tem grande responsabilidade direta quanto as condições de segurança em geral.

Conclusão

A Manutenção, PCM e, consequentemente, a Engenharia de Manutenção têm vindo a ganhar uma importância crescente devido ao aumento do número de máquinas, equipamentos, aparelhos, sistemas e infraestruturas que tem vindo a ocorrer constantemente, desde a Revolução Industrial. O seu elevado número e diversidade requerem um conjunto crescente de profissionais e sistemas especializados na sua Manutenção.

Podemos ver nas citações dessa matéria que a estratégia usando a Engenharia de Manutenção tem muitos atributos que juntos fornecem meios suficientes para uma adequada utilização dos recursos da Manutenção juntamente com o PCM, a Gestão e toda a equipe de campo.

Tags: Engenharia de Manutenção, PCM, Gestão, máquinas, equipamentos, sistemas, manutenção, SSHM, segurança, NR-12, NR-8, a manutenção nas edificações entre muitos outros. Portanto a Engenharia de Manutenção tem grande responsabilidade direta quanto as condições de segurança em geral.

Conclusão

A Manutenção, PCM e, consequentemente, a Engenharia de Manutenção têm vindo a ganhar uma importância crescente devido ao aumento do número de máquinas, equipamentos, aparelhos, sistemas e infraestruturas que tem vindo a ocorrer constantemente, desde a Revolução Industrial. O seu elevado número e diversidade requerem um conjunto crescente de profissionais e sistemas especializados na sua Manutenção.

Podemos ver nas citações dessa matéria que a estratégia usando a Engenharia de Manutenção tem muitos atributos que juntos fornecem meios suficientes para uma adequada utilização dos recursos da Manutenção juntamente com o PCM, a Gestão e toda a equipe de campo.

Tags: Engenharia de Manutenção, PCM, Gestão, máquinas, equipamentos, sistemas, manutenção, SSHM, segurança, NR-12, NR-8, SPDA, vasos de pressão, edificações, manutenibilidade, melhorias, projetos, análise de falha, padrões, procedimento.

fonte: https://www.manutencaoemfoco.com.br/ Fonte imagem: https://www.shutterstock.com