A importância dos controles de emergência

A importância dos controles de emergência


Casos de incêndio podem ocorrer em diferentes ambientes empresariais, mesmo que o empreendimento não trabalhe com substâncias que apresentam grande risco aos colaboradores. Por isso é necessário seguir as instalações exigidas. O sistema ainda é importante para o negócio, pois o não cumprimento da legislação acarretará em multas, sanções ou até interdição do estabelecimento. Seguindo as instruções técnicas do Corpo de Bombeiros é possível criar ações para medir quais são tipos de riscos, para controlar e avaliar consequências a partir dos perigos gerados durante a jornada de trabalho. Sistema de anti-incêndios em edificações Para determinar as medidas de proteção contra incêndio de empreendimentos prontos ou não, é necessário classificá-los em: ocupação, altura, área e carga de incêndio, de fogo ou térmica. As medidas podem ser passivas ou ativas. Medidas passivas de proteção contra incêndio As medidas passivas devem ser tomadas durante a elaboração do projeto arquitetônico e de seus complementares, com o objetivo de evitar a ocorrência de um foco de fogo. E, caso aconteça um foco de incêndio, o projeto, com a medida passiva implantada, fará com que reduza as condições propícias para o seu crescimento e alastramento para o resto da edificação e para as edificações vizinhas. Principais medidas de proteção passiva contra incêndio – segurança estrutural das edificações; – afastamento entre edificações; – saídas de emergência sinalizadas – compartimentações verticais e horizontais; – controle de fumaça de incêndio; – controle de materiais, de revestimento e acabamentos – controle de possíveis fontes de incêndio; – sistemas de proteção contra descarga atmosférica; – brigada de incêndio; – acesso fácil de viaturas do corpo de bombeiros junta à edificação. Medidas ativas de proteção contra incêndio Já as medidas de proteção ativas, também chamadas de medidas de combate, são as de reação no momento do fogo. São sistemas e equipamentos que devem ser acionados e operados, de forma manual ou automática, para combater o foco de fogo, com o objetivo de extingui-lo ou mantê-lo sob controle até sua auto extinção. Principais medidas de proteção ativa ou de combate – sistemas de sinalização de emergência; – sistemas de extintores de incêndio; – sistemas de detecção e alarme de incêndio; – sistema de iluminação de emergência; – sistema de hidrantes ou mangotinhos; – sistema de sprinklers ou chuveiros automáticos; – sistema de espuma mecânica para líquidos inflamáveis; – sistema de gases limpos ou CO₂ em alguns tipos de risco. Como funciona a vistoria do sistema anti-incêndio Cada prédio deve ter um manual de manutenção que determina a periodicidade pela qual os sistemas devem passar por vistorias e reparos. necessário avaliar periodicamente os sistemas de sinalização, hidrantes, luz de emergência, alarmes, escada de segurança, extintores portáteis e sobre-rodas e brigada de incêndio. O sistema elétrico também requer manutenção e atualização constantes. Fique atento a estes itens: Equipamentos - É de suma importância para a segurança do prédio conferir, seguindo à risca o cronograma de manutenção, a situação dos hidrantes, sprinklers, iluminação para incêndios. Obstrução - É necessário verificar se as saídas de emergências estão livres para as rotas de fuga, se não há itens de decoração ou lixos impedindo a passagem. Gás - Apesar de não ser tão visado quanto os sistemas elétrico e hidráulico, também é preciso inspecionar a tubulação de gás com periodicidade para evitar agravamentos em caso de um incêndio. Manutenção predial para evitar a incêndios - Apenas a preocupação com as certificações não afastam a ocorrência de incêndio em uma edificação. Contar com um bom plano de manutenção preventiva inclui a vistorias do sistema e equipamentos de controle de fumaça, mantendo tudo sempre em bom estado. Também preserva toda a infraestrutura do empreendimento, evitando focos de incêndios causados por fontes potenciais, como o gás e energia elétrica.